By Fábio Lázaro

Tudo muda quando você muda #1: Confira tudo o que aconteceu na primeira “Escola da Vida” promovida pela MPC BXS em 2018

Se dissermos que não é cansativo estaremos mentindo. Mas mentira também seria se falarmos que esse desgaste físico não vale a pena ao vermos o resultado final.

Com certeza a frase acima define o sentimento de cada voluntário envolvido nos cinco dias de imersão na Escola Estadual Antônio Pacífico, no Jóquei Club, em São Vicente, para o projeto “Escola da Vida”.

Na última semana, entre os dias 23 e 27 de abril, cerca de 70 voluntários estiveram presentes de forma ativa em uma semana de contato intenso com os alunos dos 8ºs e 9ºs anos da escola.

Enquanto alguns palestravam, outros corrigiram as “Cartas para Deus”, proposta do projeto para com os alunos, já outros desenvolveram suas habilidades artísticas etc. Tudo para que fosse plantada a semente da mudança, que é Jesus, para que tudo possa mudar na vida desses jovens e adolescentes.

Segunda-Feira

Foi a terceira vez que o projeto chegou ao Pacífico, sendo o segundo ano consecutivo de realização. Por sinal, alguns alunos de 9º ano que foram do 8º, quando a imersão havia acontecido no ano anterior, logo, sabiam bem do que se tratava.

Mesmo assim, a agitação do primeiro dia foi um empecilho para que a Profª. Camila Victorino pudesse desenvolver a sua palestra sobre autoestima.

A coordenadora da EDV na Baixada Santista, Rosemary Fordelone, comentou sobre a dificuldade do dia inicial: “Na segunda os alunos estavam bem agitados e a palestra foi bem difícil”.

Uma das salas estavam em dia de prova na segunda-feira, o que impossibilitou que eles assistissem a palestra. Entretanto, a equipe da MPC BXS organizou uma “força tarefa” para que no dia seguinte, antes de assistirem a palestra sobre vocação, os alunos pudessem bater um papo sobre autoestima.

Por fim, mesmo com a agitação natural dos alunos, o recado foi dado de forma magnífica pela profissional de ensino.

Terça-Feira

Por mais que a coordenadora do projeto tenha sido taxativa quanto a dificuldade do primeiro dia, a mesma admitiu que nos demais momentos a agitação dos alunos foi substituída pela atenção: “Com o passar dos dias ganhamos a confiança e os palestrantes conseguiram captar a atenção deles de forma especial”, disse Rosemary.

E essa atenção especial foi observada já no segundo dia de palestras, onde o Primeiro Sargento do Sexto Agrupamento de Bombeiros de Santos, Juarez Veiga, ministrou uma fala sobre vocação, convidando os alunos a pensarem quanto ao seu futuro.

“Colaborar no Projeto Escola da Vida foi algo bem marcante, especial e gratificante, principalmente porque eu acredito que a educação, a informação e o conhecimento gera transformação nas pessoas”, disse Juarez.

Foco no propósito, frustração e corrida rumo aos objetivos foram os cernes da fala do Sargento que afirmou ter encontrado corações sedentos e uma galera interessada.

Quarta-Feira

Já na quarta-feira, o tema abordado, “Consciência Política”, foi delicado, principalmente por se tratar de adolescentes de 13 a 15 anos. O responsável por ministrar esse tema foi o jornalista Victor Miranda, que admitiu a dificuldade do tema, principalmente dentro do momento atual vivido no Brasil, de desesperança política generalizada.

“É um tema de rejeição natural, mas, mesmo assim, conseguimos trabalhar com os jovens”, disse Victor.

Segundo o jornalista: “O principal intuito da palestra foi mostrar que não adianta condenarmos os políticos se não mudarmos nossas pequenas atitudes diárias”.

Quinta-Feira

Se na quarta o tema ministrado possui uma rejeição natural entre os jovens, o de quinta tem uma aprovação quase que instantânea. Sexualidade, foi a fala ministrada por Jadson Ribeiro, Pastor Líder de Jovens da Comunidade Batista da Paz, Igreja Batista localizada em São Vicente.

Com bastante descontração, linguagem informal e exemplos práticos, Jadson abordou assuntos recorrentes dentro do tema como: doenças sexualmente transmissíveis, exposições virtuais, valorização pessoal etc.

Sexta-Feira

Diferentemente dos outros dias, a sexta-feira contou com um evento cultural para encerramento do projeto. Esse evento presenteou todas as turmas que integraram o projeto participando ao mesmo no tempo no pátio da escola.

A atividade contou com apresentações artísticas como: o músico Anderson Silva, o grupo de dança “Alpha B” e o grupo de teatro “A Diferença”.

Outro momento importante foi a entrega da premiação aos vencedores da redação “Carta pra Deus”. Uma comissão de cerca de 20 pessoas avaliaram as cartas mais sinceras e escolheram o garoto Leonardo Menezes, do 9º ano A, como terceiro colocado, ganhando uma squeeze personalizada. Já a aluna Jéssica França, do 9º D, ficou em segundo lugar, ganhando assim um fone de ouvido wireless. Mas, a grande campeã, saiu do 8º ano D, Adila Araújo ganhou uma bicicleta aro 26.

Contudo, o momento mais especial foi o encerramento, onde o ex-campeão brasileiro de BMX Freestyle, Rafael Nascimento, falou sobre Jesus. Em uma ministração emocionante e impactante que durou cerca de 15 minutos, vários alunos tomaram à frente do pátio em oração e reconhecimento de que precisam da mudança que vem de Cristo.

“Eu piro demais quando falo de Jesus, na verdade, eu tomo muito cuidado nas capelanias para não falar dele diretamente. Mas, pra mim, ali estava bombando. Eu estava feliz e ao mesmo tempo nervoso, pois sou um cara apaixonado pela presença de Deus e por jovens se rendendo ao Senhor”, disse Rafael.

Para Rafael, que também faze parte do corpo de voluntários da MPC BXS, enquanto Jesus estiver queimando em nosso peito, vamos impactar a nossa geração.

By Fábio Lázaro

Mesmo com a “Escola da Vida” acontecendo no Pacífico, Capelania em São Vicente não parou na última semana

Na última semana de abril, entre os dias 23 e 27, aconteceu a primeira Escola da Vida de 2018, no Colégio Antônio Pacífico, em São Vicente. Entretanto, o grande contingente de voluntários imergidos de segunda a sexta no colégio do Jockey não foi motivo para que o trabalho de capelania escolar parasse nas demais escolas da cidade vicentina.

Entre terça (24) e quarta (25), três escolas de São Vicente receberam estudos específicos e voluntários dispostos a conhecer cada vez mais o projeto que trás princípio, valores e virtudes.

Na terça, além do trabalho da “Escola da Vida”, mais duas equipes distintas se envolveram na capelania. Na Vila Margarida, três voluntários estiveram no Margarida Pinho Rodrigues. Já no Catiapoã, o trabalho contou como novos voluntários conhecendo a ação na Escola Maria Thereza.

Confira abaixo como foi o trabalho de Capelania em São Vicente nessa semana:

Terça – Margarida Pinho Rodrigues

Mesmo com um contingente reduzido de voluntários, o projeto no Pinho foi um dos que mais aconteceram coisas positivos.

As quatro pessoas que tiveram presentes na atividade desta terça puderam observar o início dos frutos naquele lugar, seja com os alunos ou com o corpo docente.

Segundo, Jaderson Martins, um dos voluntários, ao entrar em uma sala, um aluno o chamou, colocou o fone ligado no seu celular no ouvido de Jaderson para que o mesmo ouvisse o louvor que o aluno escutava. Em outra sala, ao receber o brinde (uma caixa de Bis) o aluno afirmou que dividiria com a classe, pois aprendeu com a equipe da MPC, em outra oportunidade, a importância da divisão.

Na saída, a direção da escola procurou os voluntários sugerindo que o projeto fosse apresentado aos pais em uma ação conjunta entre MPC BXS e escola, na celebração de dias das mães que acontecerá há duas semanas.

Terça – Maria Thereza

Na segunda semana seguida de atividade no colégio localizado no bairro do Catiapoã, novos voluntários integraram-se ao time da MPC. No total, seis pessoas estiveram presentes, sendo quatro pela primeira vez.

A percepção desses novos voluntários foi a prática não proselitista da equipe nas salas de aula, abordando, acima de tudo: princípios, valores e virtudes. Nessa semana, o tema abordado foi unidade.

Para Herik Bastos, voluntário que participou pela primeira vez do trabalho de capelania, disse: “Eles (alunos) acolhem, pois não estão sendo julgados e apontados. Eles vem Jesus na vida dos voluntários de uma forma bem clara”.

Quarta – Pinheiro Júnior

Na quarta-feira, a equipe de voluntários da MPC Baixada Santista contou com quatro voluntários, assim como no Pinho, para desenvolver o trabalho no colégio da Área Continental.

A voluntária Cristiane Lopes acompanha a equipe do Pinheiro há um mês e percebeu uma quebra de barreira entre alunos e voluntários. Segundo ela, alguns adolescentes vão até os voluntário quando estão sem professor no intuito de que a equipe realize o trabalho em sua sala.

“Queria eu ter a oportunidade que eles estão tendo na minha juventude”, disse Cristiane.