Mesmo com a “Escola da Vida” acontecendo no Pacífico, Capelania em São Vicente não parou na última semana

Na última semana de abril, entre os dias 23 e 27, aconteceu a primeira Escola da Vida de 2018, no Colégio Antônio Pacífico, em São Vicente. Entretanto, o grande contingente de voluntários imergidos de segunda a sexta no colégio do Jockey não foi motivo para que o trabalho de capelania escolar parasse nas demais escolas da cidade vicentina.

Entre terça (24) e quarta (25), três escolas de São Vicente receberam estudos específicos e voluntários dispostos a conhecer cada vez mais o projeto que trás princípio, valores e virtudes.

Na terça, além do trabalho da “Escola da Vida”, mais duas equipes distintas se envolveram na capelania. Na Vila Margarida, três voluntários estiveram no Margarida Pinho Rodrigues. Já no Catiapoã, o trabalho contou como novos voluntários conhecendo a ação na Escola Maria Thereza.

Confira abaixo como foi o trabalho de Capelania em São Vicente nessa semana:

Terça – Margarida Pinho Rodrigues

Mesmo com um contingente reduzido de voluntários, o projeto no Pinho foi um dos que mais aconteceram coisas positivos.

As quatro pessoas que tiveram presentes na atividade desta terça puderam observar o início dos frutos naquele lugar, seja com os alunos ou com o corpo docente.

Segundo, Jaderson Martins, um dos voluntários, ao entrar em uma sala, um aluno o chamou, colocou o fone ligado no seu celular no ouvido de Jaderson para que o mesmo ouvisse o louvor que o aluno escutava. Em outra sala, ao receber o brinde (uma caixa de Bis) o aluno afirmou que dividiria com a classe, pois aprendeu com a equipe da MPC, em outra oportunidade, a importância da divisão.

Na saída, a direção da escola procurou os voluntários sugerindo que o projeto fosse apresentado aos pais em uma ação conjunta entre MPC BXS e escola, na celebração de dias das mães que acontecerá há duas semanas.

Terça – Maria Thereza

Na segunda semana seguida de atividade no colégio localizado no bairro do Catiapoã, novos voluntários integraram-se ao time da MPC. No total, seis pessoas estiveram presentes, sendo quatro pela primeira vez.

A percepção desses novos voluntários foi a prática não proselitista da equipe nas salas de aula, abordando, acima de tudo: princípios, valores e virtudes. Nessa semana, o tema abordado foi unidade.

Para Herik Bastos, voluntário que participou pela primeira vez do trabalho de capelania, disse: “Eles (alunos) acolhem, pois não estão sendo julgados e apontados. Eles vem Jesus na vida dos voluntários de uma forma bem clara”.

Quarta – Pinheiro Júnior

Na quarta-feira, a equipe de voluntários da MPC Baixada Santista contou com quatro voluntários, assim como no Pinho, para desenvolver o trabalho no colégio da Área Continental.

A voluntária Cristiane Lopes acompanha a equipe do Pinheiro há um mês e percebeu uma quebra de barreira entre alunos e voluntários. Segundo ela, alguns adolescentes vão até os voluntário quando estão sem professor no intuito de que a equipe realize o trabalho em sua sala.

“Queria eu ter a oportunidade que eles estão tendo na minha juventude”, disse Cristiane.

0 Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *